Bibliotecas para ler, pensar e brincar  

Bibliotecas são complementos indispensáveis das salas de aula, sendo fundamentais para formação pedagógica. Melhor ainda é reunir no ambiente escolar a diversidade de livros que uma biblioteca digital oferece, como a da Plataforma Elefante Letrado. E ainda, levando a responsabilidade do papel do educador também para fora da escola, o ideal é que atividades de formação leitora se estendam à família e a visitas culturais fora do ambiente escolar. O Elefante Letrado dá dicas de três bibliotecas históricas e diferentes, onde a criança pode aprender brincando e que vale a pena a visita e a frequência: em São Paulo, a Monteiro Lobato, primeira biblioteca infantil do Brasil, e a Infantil Multilíngue, primeira da América Latina; e a Lucília Minssen, espaço dentro da Casa de Cultura Mario Quintana de Porto Alegre.

Biblioteca infanto-juvenil Monteiro Lobato

Entrar na Biblioteca Infanto-Juvenil Monteiro Lobato é como estar dentro das histórias do autor. Já da porta vemos bonecos gigantes representando Narizinho, Dona Benta e Visconde de Sabugosa. Nas paredes, cartazes de capas de livros que o autor traduziu. Na sala ao lado, o acervo do autor com mobiliário, objetos pessoais, correspondências, fotografias e documentos de sua trajetória, inclusive desenhos originais, primeiros esboços dos personagens, em uma importante reconstituição histórica.

Criada em 14 de abril de 1936, a mais antiga biblioteca infantil em funcionamento no Brasil tem um acervo de 90 mil exemplares entre obras de literatura, livros didáticos, dicionários, enciclopédias, jornais, revistas, mapas, atlas, CD’s, DVD’s e fitas cassetes.

O escritor Mario de Andrade, importante poeta modernista, musicólogo  e pesquisador foi o idealizador do projeto quando era diretor do Departamento Municipal de Cultura. Mas só 20 anos depois o espaço ganhou o nome do famoso escritor de histórias infantis e foi ganhando a cara de suas histórias e personagens.

Possui sala de artes e vídeo, discoteca, seção de livros raros, teatro de Bonecos, auditório (Teatro Infantil Monteiro Lobato/TIMOL), a Academia Juvenil de Letras, banco de textos teatrais e uma gibiteca com cerca de 7 mil exemplares de álbuns, gibis, mangás e RPG.

Também para os pequenos há espaço exclusivo, a Sala Primeira Infância, criada para estimular o interesse pela leitura em crianças de zero a seis anos com as atividades lúdicas desenvolvidas por profissionais do espaço com treinamento especializado para o trabalho.

Pesquisadores contam com a Seção de Bibliografia e Documentação, um dos mais importantes acervos do país em literatura infantil e juvenil e uma coleção de obras raras em literatura infantil nacional e estrangeira. O arquivo histórico-documental da biblioteca reúne a história do departamento das bibliotecas infanto-juvenis com documentos e fotos do Timol, Tibbim, Turistinhas Municipais, Academia Juvenil de Letras e o Jornal A Voz da Infância.

Todo o acervo de livros pode ser encontrado no catálogo online do Sistema Municipal de Bibliotecas.
A biblioteca fica na Rua General Jardim, 485 – Vila Buarque

Biblioteca Lucília Minssen

Em 2013, um livro raríssimo de Erico Verissimo, Meu ABC, que havia sido publicado em 1936 sob o pseudônimo de Nanquinote, foi encontrado pela pedagoga Cristina Maria Rosa, pesquisadora da Universidade Federal de Pelotas. O talvez único exemplar, que após a descoberta provocou debates e gerou exposições, foi encontrado nas estantes raras da Lucília Minssen. Ele não está junto com os outros títulos do autor no Rio de Janeiro e mesmo seu filho, o escritor Luis Fernando Verissimo, desconhecia a obra. O acervo especial da Biblioteca (Espaço Yvette Zietlow Duo), existente desde 2008, tem uma coleção de oito mil livros infanto-juvenis. O material fica armazenado em uma sala específica, com acesso restrito para fins de pesquisa dos usuários. A intenção é manter as obras com características de quando foram publicadas, o que contribui para a memória da literatura infantil, além de dar vida a um patrimônio que se encontrava desativado.

Especializada em obras de literatura infanto-juvenil, a antiga Biblioteca Pública Infantil Central possui um acervo de 17 mil volumes entre folhetos, periódicos e livros como a poesia e a prosa de Glaucia de Souza, Ricardo Azevedo, Marô Barbieri, Mario Pirata, Ruth Rocha, Ziraldo, Caio Riter, entreoutros.

Entre as atividades culturais e de lazer, a biblioteca oferece oficinas, hora do conto, jogos e espetáculos teatrais. Diariamente aberta ao público, a brinquedoteca Pé de Pilão, que integra o espaço, é destinada para crianças de um a sete anos. Lá são encontrados jogos, bonecas, ursos, carrinhos, livros infantis e um mini parquinho de diversões ao ar livre. Como Pé de Pilão, mais uma sala com nome em alusão à obra de Mario Quintana, a Sala Lili Inventa o Mundo oferece com oficinas, peças teatrais, contação de histórias e saraus voltados ao público infanto-juvenil.

Todos os anos, em março, a biblioteca realiza uma semana de programação especial gratuita em comemoração ao Dia Internacional de Contadores de Histórias, com convidados de todo país.

Professora primária de Cachoeira do Sul e formada em Biblioteconomia em São Paulo e Artes Biblioteconômicas nos Estados Unidos, Lucília Minssen foi a primeira mulher a dirigir uma biblioteca. Entre 1954 e 1963 foi diretora da Biblioteca Pública Infantil Central, que hoje leva seu nome, e ajudou a criar outros espaços no Rio Grande do Sul.

A Biblioteca Lucília Minssen fica no 5º andar da Casa de Cultura Mario Quintana (Rua dos Andradas 736 – centro)

Biblioteca infantil multilíngue

Inaugurada em agosto de 2013, a Biblioteca Infantil Multilíngue Belas Artes é o primeiro espaço da América Latina com livros em diversas línguas para crianças e jovens até 19 anos, idealizada pela jornalista Duda Porto de Souza quando começou a angariar doações de livros, DVDs, revistas, gibis, itens de informática e brinquedos. Os doadores deixaram mensagens pessoais em páginas em branco dos livros.

São dezenas de estantes com mais de 7 mil obras infanto-juvenis em português, espanhol, japonês, inglês, italiano, francês, alemão e outros idiomas. Do Brasil, encontram-se livros de editoras como Ática, Zahar, Salamandra, Pulo do Gato, Companhia das Letrinhas e Panda books, entre outras, e autores como Ziraldo, Ruth Rocha e Kátia Canton.

Os empréstimos podem ser feitos por crianças e jovens, pesquisadores ou qualquer outro interessado. Há também uma Brinquedoteca e salas para eventos como workshops e palestras.

O espaço fica no Centro Universitário Belas Artes de São Paulo (Rua Dr. Álvaro Alvim, 90 – Vila Mariana) e funciona de segunda a sexta, das 9h às 18h, e aos sábados das 9h às 16h. Para se tornar usuário, os interessados precisam apresentar um documento de identificação e um comprovante de residência.

Sem Comentários

Deixe um Comentário!

O seu e-mail não vai ser publicado!

Fale Conosco

+55 51 3407-8090
suporte@elefanteletrado.com.br